Síndrome de Transfusão Feto-Fetal

A síndrome de transfusão feto-fetal (STFF) é uma alteração que pode ocorrer em 10-20% das gestações gemelares monocoriônicas.

Gestação gemelar monocoriônica ocorre quando um óvulo fecundado se divide em uma determinada fase quando a placenta já iniciou sua formação dando origem a dois fetos com duas bolsas separadas e uma placenta.

Na STFF um feto passa a receber mais sangue e outro menos, devido a anastomoses entre os vasos sanguineos. Isto faz que um feto receba mais oxigênio, água, alimentos e a conseqüência é um feto grande, urinando muito, causando formação excessiva de líquido amniótico ou polidrâmnio (aumento do líquido amniótico com maior bolsão 80mm), insuficiência cardíaca por excesso do volume sanguíneo e acúmulo de líquido nos tecidos resultando em edema fetal. O outro feto recebe menos e a conseqüência é o oposto: feto pequeno, urinando pouco com oligoâmnio (pouco líquido na bolsa com maior bolsão medindo 20mm).

Pode haver alterações hemodinâmicas que são estudadas com o Doppler dos vasos umbilicais e ducto venoso. Esta situação grave é classificada em cinco estágios segundo Quintero.

Se não houver uma intervenção estas gestações têm uma alta morbidade e mortalidade fetais, chegando próxima de 100% quando se desenvolve antes de 26 semanas de gestação. A saúde materna também pode ser comprometida, pois o excesso de líquido amniótico aumenta o risco de ruptura de membranas, parto prematruo, hipertensão arterial e descolamento de placenta.

Há quatro maneiras de se tratar esta grave alteração: amniocenteses seriadas, septostomia, feticídio seletivo e terapia a laser.

Amniocentese seriada consiste em retirada de grande quantidade de líquido amniótico do feto com polidrâmnio para evitar o parto prematuro e diminuir a pressão sobre a placenta melhorando a circulação entre os fetos.

Septostomia consiste em fazer perfurações na membrana que separa os dois fetos para que a pressão do líquido amniótico se iguale na tentativa de reestabelecer o fluxo sanguineo.

Terapia a Laser consiste na termocoagulação seletiva dos vasos comunicantes entre os dois fetos na face fetal da placenta, usando um fetoscópio.

  Laser % Amnioredução %
Índice de sobrevivência total 57-77 38-81
Nenhum sobfrevivente 13-25 9-49
Pelo menos um 75-87 51-90
Sobrevivente  
Morte neonatal 4-12 14-39
Anomalias cerebrais 2-33 18-83
Variação de freqüência de resultados perinatais divididos por terapia