Acretismo Placentário

O acretismo placentário é uma condição caracterizada pela invasão anormal do tecido placentário além da camada superficial interna do útero, chamada decídua. Esta condição está fortemente associada ao antecedente de cesáreas prévias e a inserção baixa da placenta, chamada placenta prévia.

Quanto maior o número de cesáreas prévias, maior o risco de placenta prévia e consequentemente maior o risco de acretismo placentário.

Com o aumento do número de cesáreas realizadas a incidência de acretismo aumentou mais de 20 vezes nos últimos anos e hoje está em torno de uma a cada 2500 partos.

A profundidade da invasão da parede uterina caraacteriza a gravidade da doença, sendo a placenta acreta ou acreta vera é aquela que se insere profundamente na decídua, a placenta increta se insere na musculatura uterina (miométrio) e a placenta percreta atravessa a musculatura e se insere na camada mais externa chamada serosa ou até mesmo invade os órgãos adjacentes, o mais comum sendo a bexiga.

O acretismo está associado a graves hemorragias no momento do parto, em particular se houverem esforços para tentar retirar a placenta.

Como o fluxo sanguíneo que chega ao útero é de cerca de meio litro por minuto, o volume de sangue perdido é imenso e muito rápido, o que pode levar a paciente ao choque e até mesmo ao óbito.

Portanto, suspeitar do diagnóstico antes do parto é fundamental. Mulheres com cesáreas anteriores E placenta prévia devem ser investigadas pela ultra-sonografia pré-natal, com profissional experiente.

O diagnóstico ultra-sonográfico, complementado pela ressonância magnética, antes do parto, permite que a gestante seja encaminhada a um centro especializado no tratamento cirúrgico desta grave condição.

O INSTITUTO DE MEDICINA MATERNO-FETAL possui um time especializado, com experiência nas cirurgias do acretismo placentário, envolvendo uma equipe multidisciplinar, composta por um especialista em medicina materno-fetal, ultra-sonografista, cirurgião vascular e urologista. Mais recentemente, tem sido proposta a embolização seletiva das artérias uterinas, procedimento realizado pelo cirugião especializado em cirurgia endovascular , que tem mudado o prognóstico e os resultados cirúrgicos, prevenindo com eficácia as hemorragias severas e reduzindo as complicações maternas substancialmente.